/ Coparroz / Paraguai segue liderando vendas de arroz ao Brasil
Imprimir Notcia

Tamanho da letra

22/07/2019 s 17:31 por Coparroz
Paraguai segue liderando vendas de arroz ao Brasil
crditos: www.carloscogo.com.br

No primeiro semestre deste ano, o Paraguai seguiu liderando as vendas de arroz para o mercado brasileiro. O pas exportou ao Brasil um total de 321.784 toneladas (base casca). Na totalidade dos primeiros seis meses de 2019, o Brasil importou 458.770 toneladas (base casca). O volume importado do Paraguai representa 70,14% das compras efetuadas pelo Brasil no perodo. Em segundo lugar no ranking de vendas de arroz ao Brasil est a Argentina, com volume exportado de 71.441 toneladas (base casca), representando 15,57% do total importado pelo Pas no primeiro semestre de 2019. A terceira posio ocupada pelo Uruguai, que vendeu ao Brasil no primeiro semestre deste ano 59.024 toneladas (base casca), 12,86% do total.

O Paraguai, consolidado como maior exportador para o mercado brasileiro nas ltimas safras, liderou as vendas de arroz para o Brasil entre janeiro e dezembro de 2018. O volume de arroz importado do Paraguai atingiu 598.799 toneladas (base casca), o equivalente a 71,4% do total que ingressou no Brasil nos doze meses de 2018, que foi de 842.888 toneladas (base casca). Em segundo lugar entre os fornecedores brasileiros em 2018, ficou a Argentina, com 122.188 toneladas base casca (14,5% do total) e, em terceiro lugar, est o Uruguai, com 107.581 toneladas base casca (12,7% do total).

Desde 2013, o Paraguai assumiu o primeiro posto de fornecedor de arroz do Brasil. Em 2013 (ano civil), o Paraguai exportou ao Brasil 402,5 mil toneladas (base casca), respondendo por 39,2% do total. Em 2014 (ano civil), o Paraguai exportou para o mercado brasileiro um total de 423,5 mil toneladas (base casca), respondendo por mais de metade (50,1%) do volume total. Em 2015, o Paraguai exportou 355,5 mil toneladas (base casca) ao Brasil, o equivalente a 70,7% do total, que atinge 509.922 toneladas (base casca). Fonte dos dados: Secex. Elaborado por Cogo Inteligncia em Agronegcio.





Comentrios
Deixe seu comentrio